As origens da PNL – Instituto PNL Master

As origens da PNL

A Programação NeuroLinguística teve a sua origem no início dos anos 70, quando um Professor Associado da Universidade da Califórnia, em Santa Cruz, John Grinder, decidiu formar equipe com um estudante universitário, de nome Richard Bandler. Eram ambos fascinados pela excelência humana, o que os levou a modelarem os padrões de comportamento de alguns gênios, previamente selecionados. A modelagem é a atividade central da PNL e consiste no processo de extrair e de replicar a estrutura da linguagem e os padrões de comportamento de um indivíduo, que seja brilhante numa determinada área de atividade.

Grinder e Bandler começaram o seu trabalho de pesquisa em PNL, modelando três pessoas: Frits, Virginia Satir e Milton Erickson. Estes gênios, que trabalhavam no domínio da terapia, eram brilhantes como agentes profissionais da mudança. Todos eles, Perls, Satir e Erickson, conseguiam resultados absolutamente “mágicos”, no que diz respeito à excelência do inconsciente. Estes três gênios não apresentaram a Grinder e Bandler uma descrição consciente do seu comportamento, tendo sido os modeladores (Grinder e Bandler) que absorveram, inconscientemente, o padrão que lhes era inerente, tendo, depois, feito sua descrição.

Com pouco conhecimento direto de cada uma das especialidades dos três gênios e com pouco conhecimento do campo da psicoterapia, no geral, Grinder e Bandler deram início, com grande fervor e entusiasmo, a um período de dois anos em que explicariam determinadas partes do comportamento destas pessoas. Eles codificaram os resultados dos seus trabalhos, em modelos baseados na linguagem, usando os padrões da gramática transformacional como vocabulário descritivo. Através da Modelagem da PNL, Grinder e Bandler tornaram explícitas as competências tácitas dos gênios, tendo nascido, assim, a PNL.

A empresa que Grinder e Bandler mantinham, nesses tempos emocionantes dos anos 70,  era uma mistura de várias mentes inquiridoras à procura de descobertas no campo do comportamento humano. John Grinder era professor associado na Universidade da Califórnia, em Santa Cruz e, Richard Bandler era um estudante universitário, de 4º ano. O mundialmente conhecido antropologista Gregory Bateson tinha acabado de chegar à faculdade, ao colégio de Kresge e, foi tal o interesse de Bateson, na colaboração entre Grinder e Bandler, que os apresentou a Milton Erickson. Bateson deu-lhes apoio e feedback; o seu entusiasmo nota-se, em parte, na introdução que fez no livro “A Estrutura da Magia”, na qual refere que “John Grinder e Richard Bandler fizeram algo similar ao que eu e meus colegas tínhamos tentado fazer há quinze anos atrás”.

Em 1975, Grinder e Bandler apresentaram ao mundo os primeiros dois modelos da PNL, nos volumes “A Estrutura da Magia I e II”. Os volumes, publicados pela respeitada editora “Science and Behaviour Books Inc”, colocaram a PNL no mapa e o interesse pelo novo campo na PNL rapidamente se espalhou. As pessoas que estavam ligadas a campos relacionados com a comunicação, o comportamento e a mudança, almejavam aprender a forma como poderiam conseguir resultados fantásticos quando faziam o seu trabalho de mudança. Grinder e Bandler disponibilizaram, voluntariamente, cursos de formação sobre a aplicação destes modelos. Os cursos de formação, dados por Bandler e Grinder, vieram provar que os modelos da PNL eram transferíveis para outras pessoas, significando isso que os formandos poderiam usar, com sucesso, os modelos da PNL no seu próprio trabalho.